Nota pública: No segundo turno, o IDDD escolhe a defesa intransigente dos direitos e garantias

9.10.2018

O trabalho que o IDDD (Instituto de Defesa do Direito de Defesa) desenvolve há quase vinte anos tem como objetivo central universalizar o acesso à Justiça e fortalecer o direito de defesa na área criminal.

O atual cenário de inflexão política, no entanto, tem em um de seus polos um projeto de endurecimento do sistema repressivo, com propostas como a redução da maioridade penal, a revisão do Estatuto do Desarmamento, a castração química de acusados e o fim das audiências de custódia, entre tantas outras. Além disso, sugere a criação de salvo-condutos para a violência policial e flerta com a utilização da tortura como método de punição e investigação.

Como se não bastasse, essa plataforma também prega a intolerância contra grupos inteiros da população brasileira e mostra pouco ou nenhum apreço pelas instituições democráticas, pelos organismos internacionais multilaterais e pelas organizações da sociedade civil organizada.

É a partir desta análise que o IDDD, amparando-se nos valores que orientaram sua fundação e que estão na base de seu trabalho diário, decidiu se somar de maneira inequívoca aos esforços coletivos na defesa do Estado Democrático de Direito neste segundo turno.

Conclamamos todas as pessoas que dedicam seu tempo e experiência em prol do direito de defesa a se juntarem ao Instituto nessa luta.

 

 

Imprimir publicação Imprimir publicação